QUEM SOU EU

Minha foto
Belém, Norte/PA, Brazil
Ex-oficial do Exército Brasileiro; Graduado em Engenharia Elétrica/Eletrônica; Especialista (MBA-Latus Sensus) em Gestão da Segurança Empresarial. Atual Cordenador e Professor do Curso Superior de Graduação Tecnológica em Gestão da Segurança Privada das Faculdades de Integradas Ipiranga; Professsor do ITAM para o curso de Técnico em Segurança do Trabalho; Professor do INABRA para o curso Técnico em Eletrotécnica; Consultor Independente em Segurança Privada.

quinta-feira, 26 de maio de 2011

Moçambique: Nova direção do Sindicato da G4S privilegia dialógo e espírito de trabalho

Maputo - A nova direcção do sindicato da empresa britânica G4S, a maior do ramo de segurança em todo o mundo, e presente em Moçambique, tomou posse esta quarta-feira.
O Sindicato Nacional dos Trabalhadores das Empresas de Segurança Privada (SINTESP) representado pelo Secretário Geral, Júlio Sitoe disse que a investidura do Comité Sindical da Empresa foi um acto de grande importância na vida da empresa e dos trabalhadores.

«O orgão que acabou de tomar posse tem a missão de servir a maioria e facilitar a ligação entre os trabalhadores e a empresa. Queremos encontrar espaço de inteiração pela via de dialógo e espírito de trabalho», disse Júlio Sitoe.

O sindicato tem que transmitir aos trabalhadores todos as decisões tomadas pela empresa e encontrar a melhor forma de solucionar os problemas sem, no entanto, recorrer à violência, apelou o secretário-geral do SINTESP, Júlio Sitoe.

Por seu turno, Boaventura Mutemucuio, secretário do comité sindical da G4S afirmou, minutos após ser empossado, que se vai comprometer na luta pelos direitos dos trabalhadores e priorizar o diálogo entre as duas partes, como forma de evitar conflitos laborais.

O administrador delegado adjunto da G4S, Pedro Baltazar, começou por felicitar o SINTESP pela forma como mediou os conflitos laborais registados em Abril passado, tendo de seguida manifestado um sentimento de alegria e responsabilidade. «Estou convencido que estão criadas as condições de uma relação de diálogo entre as duas partes. Espero que o novo elenco represente com responsabilidade os trabalhadores e melhore os canais de comunicação entre a empresa e a massa laboral», disse Pedro Baltazar que acrescentou ainda, que depois das manifestações, a G4S começa uma nova época e cada uma das partes deve assumir o desafio.

A G4S é a maior empresa privada de segurança em Moçambique, contando atualmente com cerca de 11 mil trabalhadores, espalhados por diversos serviços prestados pela firma entre eles o de vigilância estática, transporte de valores e forças armadas.

                                                                                     Por:Jorge Mirione
(c) PNN Portuguese News Network

Um comentário:

  1. Boa noite

    Venho por este meio saber se estao a recrutar pessoal para trabalhar na area de segurança privada para moçambique? Estou recetivo a ir contudo gostaria que me podessem ajudar a exclarecer duvidas de contrataçao obrigado

    ResponderExcluir